sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O «Evangelho» segundo Matthews (Parte 3)

Chris Matthews «viu» em Janeiro deste ano o seu «mandato» enquanto detentor da «frase mais estúpida» chegar ao fim («ganhou» a de 2012), mas isso não significou que ele tenha deixado de soltar, e sucessivamente, afirmações controversas, ofensivas e mesmo ridículas. Mais do que qualquer outra personalidade à esquerda, Matthews continua a ser o «barómetro humano» mais fiável para se aferir do (deplorável) estado de espírito de «progressistas», «liberais» e outro que tais nos EUA…
… Que está permanentemente orientado, à falta de verdadeiros sucessos da parte deles que mereçam ser enaltecidos, para criticar, difamar, demonizar conservadores, todo o GOP. Chris Matthews não hesita, por exemplo, em: (mais uma vez) insinuar – isto é, mentir – que os republicanos são (historicamente) racistas e que o partido deles se está a transformar no de Jefferson Davis – para quem não sabe, Davis foi o (democrata) presidente da Confederação durante a Guerra Civil; comparar Donald Rumsfeld a um bombista, Ted Cruz a um «animal enjaulado num jardim zoológico», todos os participantes na CPAC a alienígenas saídos da «Guerra das Estrelas» e candidatos do PR a prostitutas de Las Vegas; chamar «filho da p*t*» a Mitch McConnell e imaginar Chris Christie a esmagar a esposa durante o acto sexual; difamar os opositores das ordens executivas de Barack Obama como… novos «birthers» e os do aumento do salário mínimo como… racistas (não, ele não é muito original); dedicar a emissão de Natal de 2013 do seu programa «Hardball» a vilipendiar 11 (onze) republicanos!
Porém, a maior paixão de Chris Matthews, mais do que denegrir constantemente os «elefantes», é elogiar o «burro» Barack Obama. Aliás, e também no Natal do ano passado, ele não conseguia dissimular a sua adoração, a sua «excitação», por quem provavelmente constituía para ele uma reencarnação do rei mago Baltazar… sim, o Sr. Hussein, que lhe concedeu uma entrevista na quadra festiva e que – aleluia! - «veio até nós»! Matthews ainda se orgulha de que o «arrepio pela perna acima» lhe tenha sido causado pelo Nº 44 e não por Sarah Palin (estará ele no «armário»?), quer que ele readquira a sua «estatura heróica», o que pode provavelmente implicar que o actual presidente meta um processo (em tribunal) ao Congresso, como resposta ao que John Boehner anunciou e intentou contra o ocupante da Sala Oval. De qualquer forma, já se sabe, todos os críticos de BHO são, no fundo, de um modo declarado ou latente, racistas (não, ele não é mesmo muito original).
Na verdade, e isso não é novidade, Chris Matthews sofre de óbvios problemas mentais. Antes de mais, de memória: afirmou que não houve democratas a contestar a eleição de George W. Bush em 2000; condenou um republicano pela sua retórica «hiperbólica»… como se ele próprio, e por muitas vezes, também já não a tivesse utilizado; indignou-se por Ben Carson ter comparado os progressistas americanos aos nazis… como se ele próprio já não tivesse comparado os conservadores americanos aos nazis. E, depois, provavelmente padece ainda de psicose: incitou os democratas a «assustar» e a «enfurecer» a sua base eleitoral…. e liberal; e tais medidas drásticas são necessárias porque essa mesma base não parece aperceber-se da capacidade de apreender a «complexidade dos nossos tempos» por parte dos representantes «azuis»; já do outro lado está um «inimigo» (o GOP) empenhado numa «campanha de terror verbal e de negatividade» contra «um homem (Obama) que quer fazer grandes coisas».        
Todavia, Chris Matthews é capaz de reconhecer que, por vezes, o Sr. Hussein faz… pequenas coisas, que tem falhas. Concretamente, a troca do soldado Bowe Bergdahl por cinco líderes talibãs e a (frouxa) resposta ao assassinato, pelo ISIS, do jornalista James Foley. Afinal, e como se costuma dizer, até um relógio avariado está certo duas vezes por dia… Talvez seja por isso que, pelo sim pelo não, como precaução, Matthews já se juntou ao coro dos entusiastas por Hillary Clinton. Com «Chrissy» tudo, ou quase, é possível… tanto assim é que ele já concordou com os comunistas soviéticos!

2 comentários:

José Jesus disse...

Excelente-excelente-excelente blog! Estamos a divulgar!

José de Jesus

OCTÁVIO DOS SANTOS disse...

Muito obrigado!