terça-feira, 1 de abril de 2014

Até parece mentira… (Parte 5)

(Duas adendas no final deste texto.)
… Que a actual administração tenha proibido, no último Natal, que fossem oferecidos aos veteranos das forças armadas prendas embrulhadas em papéis alusivos à época, e que lhes cantassem canções de temática religiosa. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que três representantes do Partido Democrata – Alan Grayson (Flórida), Barbara Lee (Califórnia) e Jan Schakowsky (Illinois) – tenham convidado um apoiante da Al Quaeda a assistir a uma reunião sobre a utilização de drones. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que a NAACP tenha convocado uma manifestação contra a obrigatoriedade, em alguns Estados, de apresentação de uma identificação para votar, e requerido aos manifestantes que trouxessem uma… identificação. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Michelle Obama tenha «tweetado» uma fotografia dos seus cães sentados à mesa na Casa Branca (supõe-se que, dessa vez, para comerem e não para serem comidos). Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Bill Clinton, adúltero, também acusado de assédio e de agressão sexual, conhecido por ter ejaculado para um vestido azul de Monica Lewinski, tenha recebido de uma organização feminina o «Prémio Vestido Vermelho». Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que no Estado do Oregon (governado por democratas) nem uma só pessoa tenha aderido ao «ObamaCare». Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que apologistas – isto é, aldrabões – das «alterações climáticas» tenham tentado impedir Charles Krauthammer de publicar um artigo sobre o assunto no Washington Post. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que o Departamento de Segurança Doméstica tenha ordenado aos guardas fronteiriços para fugirem dos imigrantes ilegais. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Barack Obama não tenha conseguido soletrar correctamente a palavra «Respeito» («Respect»), título de um dos maiores êxitos de Aretha Franklin… na presença da própria cantora! Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Cory Booker, senador de Nova Jersey pelo Partido Democrata, tenha dito, no Congresso, que quando era adolescente viajou de automóvel até ao Havai (provavelmente para fumar uma ganza com Barack Obama). Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Sheila Jackson Lee, representante do Texas pelo Partido Democrata, pense – e tenha afirmado! – que a Constituição dos EUA tem cerca de 400 anos (e, logo, que o país tem uma idade idêntica)! Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que a Câmara Municipal de Minneapolis (dirigida por democratas) tenha decidido celebrar o «Dia do Hijab». Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Harry Reid tenha acusado o Partido Republicano de ser culpado, em parte, pela invasão russa da Crimeia. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Nancy Pelosi, que se assume como católica, tenha recebido o «Prémio Margaret Sanger», assim designado em honra da fundadora da Planned Parenthood, racista que promovia o aborto e a eugenia. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que Barack Obama tenha cometido dois (graves) erros – mais concretamente, proferido duas afirmações erradas (primeira, que o Kosovo realizou um referendo sob supervisão da ONU antes da independência; segunda, que a Geórgia não iniciou um processo de adesão à NATO) – aquando da sua recente viagem à Europa, demonstrando, mais uma vez, a sua ignorância e incompetência e/ou as dos que o «aconselham». Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que a actual administração queira diminuir a flatulência das vacas como parte do seu combate contra as «alterações climáticas». Mas, sim, é mesmo verdade. 
… Que no – suposto – último dia de inscrição para o «ObamaCare», e quando os seus «construtores»/«defensores» alegavam que agora tudo estava bem, o sítio healthcare.gov foi-se abaixo, mais uma vez. Mas, sim, é mesmo verdade.
… Que a Fundação Nacional para a Ciência dos EUA tenha gasto cerca de 700 mil dólares na produção de um espectáculo musical, intitulado «A Grande Imensidão», que tem como tema… as «alterações climáticas». Mas, sim, é mesmo verdade.
(Adenda – O dia 1 de Abril foi sem dúvida a data adequada para Barack Obama anunciar que havia sido atingido o objectivo de inscrever pelo menos sete milhões de pessoas no «ObamaCare» até ao dia anterior, mais concretamente 7,1; e, como disse Charles Krauthammer, trata-se de um número falso («phony number»), que não merece qualquer credibilidade – como, aliás, qualquer coisa que venha deste presidente e desta administração, que já demonstraram sucessivas – e demasiadas – vezes que não hesitam em quebrar promessas, dizer mentiras, difamar opositores e lançar contra eles, directa e indirectamente, e ainda contra jornalistas, os meios – humanos e técnicos – do Estado que têm à sua disposição. Dessas supostas sete milhões de inscrições quantas de facto se concretizaram num pagamento e não apenas numa intenção? E qual é o rácio entre «novos» seguros e entre os «velhos» que foram cancelados por causa do ACA? Jimmy Fallon, inesperadamente, foi quem reagiu mais acidamente – e certeiramente – contra este alegado «êxito», salientando ironicamente que é «espantoso o que se pode conseguir quando se torna algo obrigatório e se multam as pessoas que não o fazem e se continua a alargar o prazo-limite durante meses.»)      
(Segunda adenda – Decididamente, o Sr. Hussein não consegue deixar de mentir; é algo que nele é «normal», sai-lhe «naturalmente». Esta de não terem procedido a uma «venda dura» («hard sell») do «ObamaCare»… nem dá vontade de rir. Então as dezenas de anúncios com celebridades, as presenças do Nº 44 em todo o tipo de programas de televisão e de rádio, campanha maciça nas redes sociais… foi o quê? Uma «light sell»?)

3 comentários:

FeFe GeGe disse...

Parabéns pelo ótimo Blog, o melhor que encontrei sobre o tema, em língua portuguesa.

OCTÁVIO DOS SANTOS disse...

Obrigado. Que existam pessoas, leitores (mais ou menos) regulares, que gostam do que eu faço... é a melhor das compensações.

Aprendiz disse...

É realmente um excelente blog.
Mas o assunto é triste.