quinta-feira, 21 de junho de 2018

Rever em baixa (Parte 17)

«Liderança americana no palco mundial – Ao contrário de Obama, Donald Trump apoia os protestos pró-democracia contra o extremista regime iraniano», Aaron Klein; «A lista das canções favoritas de 2017 de Barack Obama é lixo – As feministas “Eu Também” deveriam estar indignadas, mas não estão», Jared Sichel; «Jeff Sessions está certo em acabar com a abordagem não legal de Obama da criminalização da marijuana», Josh Hammer; «O que os dados do Censo de 2017 nos dizem das políticas de Obama», Michael Barone; «A era de Obama de negligência para com os nossos militares deve chegar ao fim», Mike Turner; «Dar poder ao Irão – Desfazendo a perigosa agenda de Obama», Bradley Martin; «A bastardização, pela administração Obama, das nossas agências de inteligência e do FBI», Mark Levin; «Presidente Nobama», Victor Davis Hanson; «Onde estava Flake quando Obama atacou a Fox?», Tucker Carlson; «Obama troçou das ambições políticas de Trump, Trump gastou o seu primeiro ano desmantelando o legado de Obama», Peter Hasson; «”O Ano Final” revela a ingenuidade e a arrogância da administração Obama», Kyle Smith; «As mensagens entre Clinton e Obama – A chave para compreender porque Hillary não foi acusada», Andrew C. McCarthy; «Como Barack Obama pôs o Partido Democrata contra Israel», Pamela Geller; «Quem é dono desta economia, Obama ou Trump?», Brad Schaeffer; «O que sabia Obama e quando é que o soube?», Sean Hannity; «Os abusos federais cometidos sob o olhar de Obama representam uma praga crescente no seu legado», Monica Crawley; «Detectando o verdadeiro conluio – Obama sabia que entidades estrangeiras estavam a interferir, ele nada fez», Tammy Bruce; «O legado de Obama será o de que ele permitiu que a Rússia “semeasse discórdia” nos Estados Unidos», Liz Peek; «Então, era sobre quê o discurso secreto de Obama na conferência desportiva?», Monica Showalter; «Sobre controlo de armas, Obama é o hipócrita de que ninguém tem estado a falar», Colin Kalmbacher; «Oito anos de fraqueza de Obama perante a Rússia», Andrew Kugle; «Cinco coisas que Barack Obama disse durante o seu discurso no MIT estranhamente não gravado», Robby Soave; «Irónico – Organizadores comunitários de Chicago lutam contra Obama», James Barrett; «Por detrás da escalada de Cruz na Flórida, a política de permissividade escolar de Obama», Paul Sperry; «A ilusão “livre de escândalos” de Obama», David Limbaugh; «”Obamagate” e a imprensa», Andrew Klavan; «Barack Obama repete a alegação falsa de terem existido este ano 18 tiroteios em escolas», AWR Hawkins; «Ben Rhodes, assessor mentiroso de Obama, ataca Trump por silêncio quanto à Rússia, mas ninguém foi mais silencioso do que Obama», Hank Berrien; «Rolling Stone adora a carta de Obama elogiando os miúdos de Parkland, esquece-se de que ele nada fez pelo controlo de armas», Gabriel Hays; «Não-drama Obama versus “caos” de Trump», Larry Elder; «O mais auto-obcecado presidente de sempre fala em criar “um milhão de jovens Barack Obamas"», Joseph Curl; «As boas vindas de Obama a emigrantes permitiu uma “guerra química” contra americanos», John Hayward; «Pode Obama salvar os democratas?», James Wolcott; «Os apoiantes de Obama correm para salvar a sua “perigosa” política de permissividade escolar para estudantes das minorias», Susan Berry; «Assassínio, violação e suicídio – Como uma directiva para a “diversidade” da era Obama introduziu injustiça nas nossas escolas públicas», Amanda Prestiagiacomo; «A administração Obama financiou as actividades esquerdistas de Soros na Albânia», Tom Fitton; «Cinco vezes em que os media não perguntaram a Obama se iria demitir-se», Matt Margolis; «Ao sair do acordo com o Irão, Trump termina o legado de apaziguamento de Obama», Joel B. Pollak; «O legado presidencial de Barack Obama – Um guia abrangente», Michael J. Knowles; «O legado de Obama merece ser destruído», David Harsanyi; «A analogia de Watergate aplica-se a Obama, não a Trump», Rush Limbaugh; «Jornalistas indignados com Trump estavam silenciosos quando Obama ameaçava as liberdades da imprensa», Jeffrey Lord; «Então… podemos todos admitir que Trump estava correcto sobre Obama estar a espiar a sua campanha, certo?», Larry O’Connor; «Barack necessita de regressar às suas raízes como organizador para que o Centro Obama floresça», Mary Mitchell; «O legado de Obama já foi destruído», Andrew Sullivan; «Porque os conservadores não devem ter medo do acordo de Obama com a Netflix», Christian Toto; «Porque é que aquilo que a administração Obama fez foi muito pior do que Watergate», Charles Hurt; «Sete maneiras pelas quais o espião-em-chefe Barack Obama espiou Donald Trump», John Nolte; «Um falhanço no Twitter revela que as narrativas dos media sobre Obama ainda destoam da verdade», David French; «Os novos e surpreendentes inimigos de Obama», Dennis Byrne; «A administração Obama mentiu ao povo americano, repetidamente, aqui está a prova», Ben Shapiro; «Obama levou a mentira a novos máximos com o acordo com o Irão», Marc Thiessen; «Imprensa ignora a mentira de Obama sobre as mensagens de correio electrónico para o servidor privado de Hillary», Tom Blumer; «Os media isolaram Obama do escândalo», Brent Bozell e Tim Graham; «Aqui estão as fotos das instalações de detenção de imigrantes ilegais de Obama que os media não lhe mostram», Benny Johnson; «Quatro horríficas histórias de imigração que aconteceram sob Obama que você precisa de conhecer», Ryan Saavedra.

Sem comentários: